Salvador: 15% das clínicas convencionadas ao SUS suspenderam atendimento

Nenhum Comentário

Uma dívida em torno de R$ 7,6 milhões entre a prefeitura e as clínicas particulares que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), na capital, levou parte desses estabelecimentos a suspender o atendimento gratuito à população e, em alguns casos, cortar o vínculo com o município.

 

O débito, equivalente aos meses de novembro e dezembro de 2012, deveria ser pago até 60 dias, no máximo, após o vencimento de casa mês, conforme previsto no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a prefeitura e o Ministério Público da Bahia em março de 2012.

 

Clínicas como Insbot, no Barbalho, e São Bernardo, em Brotas, não tem atendido a população. Cerca de 15% das 200 clínicas convencionadas ao SUS suspenderam o atendimento, de acordo com o vice-presidente da Associação de Hospitais e Serviços de Saúde da Bahia (Ahseb), Marcelo Brito

 

Por meio de nota à imprensa, a Secretaria Municipal de Saúde afirma ter pago “todos os pagamentos assumidos pela atual gestão” e que o débito de R$ 7,6 mi só deve ser honrado com aporte de novos recursos federais. Com informações do A Tarde.


Mais em CIDADES
Juscelino Santos, presidente do SISEMC, em reunião com servidores no mês de fevereiro
Candeias: servidores municipais podem entrar em greve a partir desta quinta (23)

Na manhã desta terça-feira (21), representantes dos servidores públicos de Candeias chegaram cedo à Câmara Municipal de Vereadores e estão......

Fechar